Crenças Limitantes e seus impactos em nossa vida

Você sabe quais são suas crenças limitantes?

Será que elas interferem na sua vida, determinando suas escolhas e decisões?

Será que elas interferem em seu desenvolvimento pessoal e profissional? Em sua carreira?

Como libertar-se delas e trilhar um caminho alinhado com aquilo que você deseja?

Todos nós temos crenças, algumas nos motivam e geram prosperidade, impactando positivamente nossas vidas; outras, bloqueiam nosso desenvolvimento e nos impedem de avançar, de alcançar uma realização pessoal e profissional. A essas chamamos de crenças limitantes, pois limitam nosso crescimento e florescimento humano

Mas afinal, o que é uma crença?

Segundo o Aurélio, Dicionário da Língua Portuguesa, crença é uma ação de crer na verdade ou na possibilidade de uma coisa. É uma convicção íntima; opinião que se adota com fé e convicção; certeza.

Os grifos da definição indicam a força de uma crença, pois envolvem aquilo de mais profundo que temos: nossa fé e convicção. Crenças são nossas ideias, aquilo que pensamos acerca das coisas, aquilo que cremos ser verdade. É a nossa interpretação da realidade. 

Como são nossas interpretações da realidade, nossos pensamentos são carregados de crenças e moldam nossos comportamentos, emoções e sentimentos. Se são positivas, nossos pensamentos também o são, assim como nossos sentimentos. Se são negativas, geram medo, ansiedade, insegurança, resistência, etc. 

E como elas impactam nossas vidas?

Como são nossas “verdades”, elas moldam nossos comportamentos e definem nossa direção. São como um farol, indicando o caminho a seguir, influenciando as decisões e escolhas que fazemos; e também são como um imã, gerando e atraindo uma realidade compatível com elas. 

Nossas crenças impactam todas as áreas de nossas vidas. Em nosso desempenho pessoal, nas amizades que estabelecemos e de como as nutrimos; em nossas decisões de carreira e escolhas profissionais; em nossa vida afetiva e de como lidaremos com ela, e em nossa saúde.

Crenças limitantes geram muitos pensamentos negativos e estes impactam nosso bem-estar, gerando estresse, burnout e outras enfermidades. Há pessoas que adoecem lentamente ao longo da vida, pois têm crenças negativas que, invisível e silenciosamente, minam seus sonhos, suas vontades e energia, lhes tirando força de vida.

Alguns exemplos de crenças limitantes

Uma crença muito comum é de que “trabalhar é difícil e não é prazeroso!”. Absorvemos facilmente essa crença, principalmente se em nossa observação ao longo da vida, vimos pessoas “trabalhando duro” e reclamando do trabalho o tempo todo. Assim, por mais que nosso trabalho tenha aspectos prazerosos, de satisfação e alegria, o percebemos como difícil, duro e árduo. Isto porque essa crença direciona o nosso olhar somente para a parte ruim. Sim, as crenças direcionam o nosso olhar e criam a nossa percepção da realidade.

Frases típicas de crenças limitantes:

  • Dinheiro na mão é vendaval. Dinheiro entra em um dia e sai no outro. Dinheiro não traz felicidade
  • A crise está grande. Não tem emprego por causa da crise. 
  • O tempo anda curto. Não tenho tempo para nada. A vida é uma correria danada
  • Não tenho sorte. Não sou bom em nada. Faço tudo errado! 
  • Não aprendo com facilidade. Tudo para mim é difícil. Tenho que estudar muito para aprender.
  • Tenho que batalhar mais do que os outros para conseguir algo. Tudo tem que ser perfeito.
  • Sou desastrado. Não sei organizar nada direito. Não sou bom com essas coisas. 
  • Casamento é prisão. Ninguém consegue ser feliz sozinho. Viver a dois não é fácil. É muito difícil conviver comigo, etc

Distinguindo Crenças dos Fatos

Claro, existem trabalhos árduos e duros, ou momentos no trabalho que assim o são, motivo pelo qual é importante distinguir os fatos das crenças. 

As crenças são descrições “daquilo que acreditamos ser verdade”, “de nossas ideias acerca de algo ou da realidade”. Essa “realidade” é subjetiva e muitas vezes, só nós a vemos assim. Já os fatos são precisos, reais e externos, e muitas vezes, percebido por todos. 

Tipos de Crenças

Existem basicamente três tipos de crenças:

  • Aquelas que aprendemos desde pequenos, oriundos do nosso círculo familiar mais íntimo – nossos pais, tutores, avós, irmãos e todos aqueles que nos cercam. Se são positivas, geram confiança na vida, esperança e otimismo e uma autoestima saudável. Se são negativas, veremos o mundo de uma perspectiva de medo, insegurança e desamparo. Frases como “você não faz nada direito”, “você não é capaz”, “Você só atrapalha”, você nunca vai conseguir ninguém”, “você é burro” ficam registradas em nossa mente e geram baixa autoestima.
  • Aquelas que adquirimos dos meios sociais em que vivemos – escola, amigos, religião, etc. Incluem as crenças populares impostas pela mídia. Alguns exemplos comuns são: “você é pecador”, “este mundo é de provas e expiações”, “o mundo é perigoso”, “os ricos são mais felizes” e “ser magro é ser bonito”, “ter carro de luxo é sinônimo de sucesso”, “você precisa disto para ser feliz”, etc. 
  • E as crenças criadas a partir da nossa experiência individual. Elas têm origem no círculo familiar e social, mas se tornam verdades através das experiências que vivemos. Por exemplo, se você não passa em um processo de seleção, pode desenvolver a crença de que não é capaz e bom o suficiente; se você vai mal na prova, assume que é porque você é burro e não aprende nada, e por aí vai. 

Essas crenças negativas impactam todas as áreas de nossas vidas e como são nossas verdades e com ela nos conectamos, a vida trará situações que sejam compatíveis com esta vibração.

Como mudar minhas crenças?

É difícil mudar um fato, mas é possível mudar uma crença.  O desafio está em distinguir uma coisa da outra. Um bom exercício é pensar em um problema e escrever todos os “porquês” dele (todas as possíveis razões pelas quais você tem esse problema), distinguindo o que é crença do que é fato.

Exemplos:

Eu não consigo arrumar emprego (problema), porque estou muito velho (crença) e não tenho formação e experiência que o trabalho exige (fato)

Eu não posso mudar minha carreira agora (problema) porque seria desperdício de tempo (crença) e já investi muito dinheiro em minha formação (fato)

Eu não gosto de falar em público (problema) porque não me comunico bem (crença) e cometo muitos erros de português (fato)

Eu não posso começar meu próprio negócio (problema) porque a economia está ruim (crença) e meu dinheiro não é suficiente para aquilo que quero (fato)

Meu casamento está ruim porque não tenho sorte no amor (crença) e temos interesses pessoais muito distintos (fato)

Submeter nossos pensamentos a tal reflexão eleva nosso autoconhecimento e propicia uma chance real de olharmos a vida sob uma perspectiva positiva, que impacte na criação de uma realidade compatível.

Nossas crenças estão em nosso inconsciente e por este motivo, agem silenciosamente. Se são positivas, agem a seu favor, mas se são negativas, poderão bloquear aspectos importantes de sua vida. 

Por este motivo, na Olhar Humano nós levamos as crenças à sério!

Razão pela qual nossos programas sempre olham para como o indivíduo enxerga o mudo e os auxiliam a identificar suas crenças e mudá-las, a fim de gerar uma visão mais positiva sobre si e sobre sua realidade. Isto promove, entre outros aspectos, a capacidade de criar um futuro desejável e compatível com aquilo que se é e sente. 

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Posts Relacionados

Bem-estar

Crenças Limitantes e seus impactos em nossa vida

Você sabe quais são suas crenças limitantes? Será que elas interferem na sua vida, determinando suas escolhas e decisões? Será que elas interferem em seu

Bem-estar

O Perfeccionismo e o baixo desempenho

Quando errar não é uma opção, não existe aprendizado, criatividade ou inovação”. Essa é uma frase de Brene Brown em seu livro “A Coragem de

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Alcance Todo Potêncial Humano da sua Empresa

Fale Conosco